terça-feira, 7 de abril de 2015

DOIS (OU MAIS) É MELHOR QUE UM!

Quando a Manu ainda era bem pequena, sempre me perguntavam quando eu teria o segundo filho ou filha.
É aquela história que todo mundo conhece: se estamos namorando querem saber do noivado; se noivamos, quando será o casamento; se casamos, quando teremos o primeiro filho; e quando já temos um, quando teremos outro e por aí vai...
Quando a Manu nasceu, nasceu em mim uma nova pessoa, uma pessoa muito melhor, uma mãe! E junto um amor incondicional. Ela foi crescendo e esse amor também, de tal forma que eu me sentia completa. Talvez por esse motivo eu tinha dúvidas, muitas dúvidas se teria mais um filho. Será que eu conseguiria amar tanto outra pessoinha como eu a amava?
Na verdade sempre quis ter dois. Nos meus pensamentos de guria e sonhos de adolescente eu já idealizava um casalzinho. Mas a insegurança me acompanhava e minha filha foi crescendo e ficando mais independente. E o tempo foi passando...
Admiro as mães que tem dois ou mais filhos com idades próximas. Acho superbacana irmãos com pequena diferença de idade crescendo juntos e fortalecendo os laços. Só que eu acho que não conseguiria, sou daquele tipo de mãe que se doa completamente, então resolvi dar tempo ao tempo e esperar. Confesso que cheguei a pensar em ficar só com ela, foi quando ela mesma começou a pedir um irmãozinho ou irmãzinha. Todos os meus anseios povoaram minha cabeça novamente. Seria justo com ela, por medos meus, não atender seu pedido? Seria justo comigo, exatamente por ter essa insegurança, atender seu pedido? Coisas de mãe... pensamentos mil...(mães são seres esquisitos às vezes). E quando ela fez seis anos, pensei: “é agora ou nunca” e Deus escolheu o agora pra mim. Durante a gestação os medos não foram eliminados, os sentimentos todos misturados, mas qual grávida não fica assim? (mães são mesmos seres esquisitos!). Junto a isso, tem todos aqueles momentos delícias que antecipam a chegada do filho, como a organização do chá de bebê, a escolha do enxoval, do nome do baby, coisas que a gente curte de montão, e que a Manu curtiu junto. Já dava pra ver a importância de nossa decisão, já dava pra sentir a alegria, o carinho dela, cuidando de mim e do mano que ainda estava para nascer.
Em maio de 2013 chegou nosso amado Davi. E com ele descobri que o amor de mãe não se divide, se multiplica! É tudo em dobro! As responsabilidades, os medos, a bagunça, os choros, os sorrisos, os gritos, as brincadeiras, as finanças... e os abraços e os beijos também! É uma alegria multiplicada!
Acredito que tudo acontece na hora certa. Não existe um tempo certo para ter o segundo, o terceiro filho... não tem uma diferença de idade ideal. Irmão é irmão e pronto! Vão trocar confidências, carinhos e brigas em qualquer idade, rsrs. E aqui em casa não é diferente! Isso é o mais legal, eles aprendem a compartilhar, a cuidar, a trabalhar em equipe, o valor da amizade, o amor de irmãos.
O Davi chegou quando eu estava preparada, esperando por ele. Hoje eu e o marido não imaginamos nossas vidas sem os dois. Sem suas traquinagens, conversas e brinquedos espalhados pela casa. Uma casa cheia de vida, de risos de criança. Como é bom ter irmãos, ter uma companhia a mais, um amigo que mora junto. Eu desejei isso para a Manu e desejo pro Davi. Como é bom ver crescer os laços entre eles, o cuidado de um com o outro, o amor verdadeiro. Como é bom ser mãe e pai de dois.
Hoje me sinto ainda mais completa! Completei meu castelo e meu mundo ficou mais colorido com eles. Tenho a felicidade de ser mãe de um guri e uma guria!


Tatiane Gallas, mãe da Manuela há 8 anos e do Davi há 1 ano e 11 meses.

23 comentários:

  1. Tati. Sou mãe só de 1! Louca para ter o segundo mas meu
    Marido não quer.... Fico pensando se vou gostar igual ou tanto quanto amo Rafa. Mas só vivendo para saber não eh mesmo? Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É importante uma decisão conjunta!
      Fanny, eu tb pensei nisso, mas o amor que sentimos multiplica! Bjo

      Excluir
  2. Que lindo Tati, como dizia minha vó, quanto mais se divide o amor, mas a felicidade se multiplica.
    bj,
    Alê
    http://www.dafertilidadeamaternidade.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Sempre que penso num 2 filho, penso mais pelo lado do Joao, pra ter uma companhia. Mas confesso que ainda nao criei coragem e com essa onda do Zika, fiquei com ainda mais receio...
    Deia Tomaz - www.lancheiradojoao.com

    ResponderExcluir
  4. Tati como você sonhava com 2 filhos. Porém, com Pedro bebê queria matar quem me sugerisse outro filho. Inclusive o marido kkkk
    Quando Pedro fez um ano e meio esse desejo começou a surgir. Tenho 36 anos e sempre falei que não queria engravidar depois dos 35 anos. Nossas palavras possuem poder e acabei engravidando "sem querer" , pois pretendia esperar Pedro fazer 2 anos. Estou muito feliz com meus filhos. Acho que terei muito trabalho e muito, muito amor!!

    ResponderExcluir
  5. Que relato lindo Tati... Eu tenho um apenas. Sempre quis ter dois, mas após JP nascer e ter a DPP fiquei com medo de uma nova gestação e hoje, apesar de dizer que não quero, lá no fundo ainda fala aquela vontade de ter dois. Não sei como será o futuro, pode ser que venha um irmaozinho (ou irmãzinha) para JP. Mas respeito a vontade de Deus, sei que tudo acontece conforme a Sua vontade. Beijos

    ResponderExcluir
  6. A gente só tem o Ben, mas queremos mais uns dois ;) Rsrsrs...

    ResponderExcluir
  7. Sou mãe de 1 mas penso em arrumar um irmão para o Pedro Augusto.. Bj

    ResponderExcluir
  8. Sou mãe de um, mais desejo outro, isso também desde a minha adolescência, também não sei dizer se tem uma idade (diferença) certa entre eles que seria melhor ou pior...

    Beijos Mi Gobbato - Espaço das Mamães

    ResponderExcluir
  9. Eu sempre pensei ter dois, mas nunca passou pela minha cabeça que fosse de uma vez. Quando a chega hora de uma forma mágica estamos preparados para a nova rotina.
    @nossasaogemeos

    ResponderExcluir
  10. Tenho muitos irmãos, por isso sempre quis dar um pra Heitor. Jaja Artur chega, em maio! Estou ansiosa pra ver como será tudo é com medo também, de ter um preferido... Não queria fazer distinção. 😕

    ResponderExcluir
  11. Realmente, a maternidade transforma nossas vidas para sempre! Nos faz descobrir a verdade razão de viver! Belas palavras!

    ResponderExcluir
  12. Sempre quis ter 3 filhos. Quando o Luan nasceu ainda sentia a vontade de ter mais um, mas o medo era enorme e a vontade ainda maior. Medo de como seria o amor, carinho e tudo oque envolve ter dois filhos. Hoje tenho a plena certeza de que fizemos a coisa certa, não imagino nossas vidas sem o Joshua!

    ResponderExcluir
  13. Li do relato Tati, eu queria dois, mas desisti e vou ficar sendo mãe de uma, mudou a vontade eu tenho medo de não saber dividir o amor! insegurança boba mas pra mim preferi ficar só com ela. bj

    ResponderExcluir
  14. Incrível como o amor não divide mesmo! Acho que vc esperou o tempo certo. A diferença aqui são 3 anos e eu estou quase enlouquecendo!

    ResponderExcluir
  15. Sempre quisemos 2 filhos e Deus nos presenteou com duas meninas lindas. Não troco por nada e a gente aprende que o amor se multiplica!

    Beijo,

    Claudia
    @AsPasseadeiras

    ResponderExcluir
  16. Eu quero ter dois Tati por enquanto só tenho o Gabriel mas daqui uns dois anos quero outro.
    Bjs
    Mari
    Vamosmamaes.blogspot. com.br

    ResponderExcluir
  17. Lindo post! Sou mãe de uma menina e sou louca pra ter um menino só que não nesse momento, ainda quero crescer profissionalmente para amadurecer essa ideia!

    ResponderExcluir
  18. Sou doida para ter mais um. Mas atualmente pensamos mais com a razão do que com a emoção. E pensar em mais um, agora, virou quase um sonho impossível ...

    ResponderExcluir
  19. ainda estou na duvida de 1 ou 2. tenho tanto medo e vontade do segundo filho que sempre adio a decisao.

    ResponderExcluir
  20. Que lindo!! aqui já estamos pensando num segundinho!!! A vontade está aumentando cada vez mais!!! <3

    ResponderExcluir

Gostou? Compartilhe, comente!