quarta-feira, 17 de junho de 2015

Nem aviãozinho faz ele comer!

            Quer ver mãe preocupada é quando o filho não come. Levante o dedo a mãe que nuca passou uma única vez por isso. E ai, o que fazer?

Imagem Google

            Primeiro calma! É preciso analisar a situação com olhos bem críticos e perceber o que realmente está ocorrendo. Ele está feliz, brincando, fazendo travessuras, dorme bem? Então é apenas questão de paciência e estratégia.
            Não comer não significa estar doente e fome é algo que as vezes eles aprendem a usar como argumento para conseguir alguma coisa. Aí está o nosso olhar esperto.
            Como são as refeições? É a hora da tortura? É um campo de batalha? Ou é divertida, em família, todos curtindo o prazer que a alimentação nos traz, nutrindo a alma e o corpo.
            Nem todo mundo gosta de brócolis, por isso existem outros verdes que o podem substituir. Sopas creme são boas opções para consumir legumes no inverno, é só variar o preparo. Não gosta de banana? Que tal uma salada de frutas? Nossa criatividade será sempre posta à prova, mesmo quando forem adolescentes!
            Se, entre outras coisas, ele usa leite, iogurte, queijo, a proteína tá chegando.... e ele vai crescer forte. Mas lembre-se que o leite  é bom mas não é o único alimento saudável. Crianças acima de 1 ano de idade estão prontas para participar da dieta alimentar da família, de forma saudável né! Se você não come salada, o que ele vai pensar da alface?
            Mas se você oferece uma bolacha para compensar um almoço ou se as guloseimas estão antes ou depois da refeição principal, isso  é apenas o sentimento de culpa tomando conta de você. Não caia nessa. Se ele perceber isso você vai ter muita teimosia pela frente. Sobremesa não é prêmio para quem comeu tudo.
            Se ele não comeu bem numa refeição pode ser apenas a brincadeira chamando mais forte, porque parar  a  brincadeira e ir comer pode ser muito chato; então, se ele acabar logo a refeição vai poder voltar a brincar. A fome vai bater na próxima refeição e ele vai comer o que for oferecido.
            Leve seu filho para a cozinha e convide-o a participar do preparo da alimentação. Pode ser que o preparo demore mais tempo do que o programado, que a cozinha fique muito bagunçada  mas essa brincadeira vai ser lembrada por ele ao longo da vida. E você vai se divertir também, tente algumas vezes.
            O importante é manter a sua tranquilidade e observar se seu filho está bem disposto; não é a falta de uma refeição que resulta em alguma carência alimentar. Lembre-se que um nutricionista pode ajudá-la na avaliação nutricional do seu filho.
            O olhar atento, de mãe esperta, criativa, persistente e calma é o que vai fazer da  alimentação em família um momento feliz. Boa sorte no aviãozinho da próxima vez.

  
Maria Cristina Gallas Flach

Nutricionista, há 22 anos mãe do Pedro e que adora o desafio de abrir a geladeira e ver o que se esconde lá dentro pro almoço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Compartilhe, comente!