quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Só uns minutinhos para mim...


Ser mãe por 24 horas em temo integral não tem sido fácil. Eu sabia que não seria, mas tem dias que é de pirar a cabeça ou levar qualquer indivíduo ao infarto.

Até o Davi nascer sempre trabalhei fora de casa, sou professora e sempre exercitei esse cargo nos dois turnos. Também não era fácil, imaginem dar atendimento, atenção, ensinar uma turma com aproximadamente 30 alunos em cada turno, durante o dia inteiro e depois, ao chegar em casa ter todas as tarefas domésticas por fazer e uma filha aguardando atenção. É o que faz a maioria das mães que trabalham e mantém o seu emprego, que não abriram mão de sua profissão. E isso funciona como uma válvula de escape. É ótimo ter alguns dias para saborear um almoço tranquilo, poder conversar assuntos variados com outras pessoas, estar por dentro das "futilidades de mulherzinhas" (não é pejorativo não viu, falo das "futilidades" que tanto adoramos), quem sabe até fazer umas comprinhas no intervalo do almoço ou dar uma escapadinha até a manicure. Coisas simples que são muito difíceis de fazer quando somos mães o tempo todo (ahhhh que frase horrível...até parece que não somos mães durante o tempo em que estamos no trabalho, mas tenho certeza que vocês entenderam, rsrs) e estamos sempre disponíveis para as crianças e com elas ao lado.

Ficar sem meu trabalho nunca foi minha opção. Amo o que faço. Mas por circunstâncias do destino, no caso a transferência do marido para outro estado, foi preciso decidir pelo meu afastamento. Estou em licença na prefeitura, porque temos sim muita vontade de voltar para a terrinha. Sinto falta das loucuras da sala de aula, das histórias dos alunos, do ambiente escolar, do bate-papo com as colegas, mas (sempre tem um mas, já repararam?) minha família está sempre em primeiro lugar.

Desde a chegada do Davi na nossa família foram muitas idas e vindas, muitas viagens do RS para GO, licenças do trabalho, a volta para a escola e a licença novamente. E cá estou, há quase onze meses sendo "SÓ" mãe e dona de casa, uma gaúcha perdida em Goiás...

Eu amo, amo, amo incondicionalmente meus filhos e não os trocaria por nada nesse mundo, mas (olha o mas aí de novo!) tem dias que é punk. O de sempre... lavar, cozinhar, lavar de novo, passar, guardar, buscar na escola, fazer lanche, guardar objetos novamente, limpar, organizar, já falei lavar (?), brincar, apartar briguinhas, dar atenção, passear, ficar sempre de olho nas crianças, ajudar nas tarefas, ensinar, organizar tudo de novo, educar, tem certeza que já falei lavar (?), cuidar, amar e dar muitaaaaas respostas durante o dia inteiro. Ir ao banheiro sossegada e sozinha por 5 minutos, dormir uma noite inteira (oiiii, existe isso?), pintar as unhas, ler um livro ou assistir algo na televisão (que novela mesmo está passando agora?) é um luxo para uma mãe. Tem dias que realmente é uma loucura, somados aos que não estamos, digamos, nos nossos melhore dias, então...tudo fica duplamente mais complicado e insuportável até. E tudo o que eu queria era uns minutos para mim... minutos de sossego, isolamento, calmaria, sem ouvir um "Manhê me ajuda aqui", ou "mamãe vem brincar", ou "manhê o que significa (...)", ou ainda "mamãe, quero fazer xixi", ou "mãe tô com fome" ou quem sabe "mamãe, mamãe...abre a porta"... a tal da porta do banheiro!

É pecado querer fugir às vezes? Mesmo sabendo que na metade do caminho já voltaria correndo para casa? É tortura demais amar tudo isso? É insanidade querer essa vida tumultuada, mas (mas ele sempre aparece) cheia de amor? É compreensível tanto desespero? É imaturidade sentir-se culpada, atrapalhada e irritada? É loucura saber de tudo isso e mesmo assim optar por continuar vivendo do mesmo jeito, com todas as culpas e questionamentos da maternidade? É egoísmo querer uns minutos para mim?

Ser mãe é mesmo padecer no paraíso. Ser mãe pode ser o melhor e o pior trabalho do mundo. Ser mãe é nunca estar sozinha. Ser mãe é extrair forças que nem sabíamos que tínhamos. Ser mãe é compartilhar amor. Ser mãe é querer uns minutinhos... de paz...para logo querer voltar à realidade insana, torturante,  irritante, mas maravilhosa, divertida e cheia de amor com as cria!


 Beijos,
Tatiane Gallas a


Gostou? Comente! Compartilhe!








18 comentários:

  1. Lindo Tati. Super me identifiquei. Beijos!!

    ResponderExcluir
  2. Aiii eu sinto falta de uns minutos pra mim...
    Blogmaternidadesemfrescura

    ResponderExcluir
  3. Nossa não é fácil mesmo .. Eu desci parar de trabalhar quando ganhei o Gui para ficar com ele .. E sim nós temos vontade de fugir as vezes ... Mais ao mesmo tempo não queremos sair de perto né

    Bjs Mi Gobbato - Espaço das Mamães

    ResponderExcluir
  4. Amei o post, esse outro lado da maternidade é pouco falado e parece secreto né rsrs eu tbm tenho dias e muitos assim! Somos mães reais! 😘

    ResponderExcluir
  5. É Tati, ser mãe não é fácil. Precisamos as vezes, nem que seja de 5 minutos no banheiro!

    ResponderExcluir
  6. Oi Tati,

    Não é pecado querer um tempinho só para si, as vezes precisamos também.
    Antes de ter o Gabriel eu falava nossa não tenho tempo para nada, agora eu vejo que eu não sabia de nada isso sim.
    Eu saio com amigas para espairecer um pouco Tati a cada 2 meses.
    E é tao bom.

    Bis

    Mari
    vamosmamaes.blogspot. com.br

    ResponderExcluir
  7. Belo texto querida, as vezes para recebermos algumas melhoras na vida temos que abrir mão de outras coisas, tudo no seu tempo, tudo se ajusta, o importante é que estamos dando o nosso melhor sempre !!

    ResponderExcluir
  8. Te entendo super pq as vezes acabou me estressante pq me perdi na maternidade

    ResponderExcluir
  9. Muito verdade verdadeira! Cada palavra!🙈

    ResponderExcluir
  10. Estou nessa também, mas eu parei de trabalhar desde a gestação, pois mexia com material químico. hoje atuo na área que me formei, jornalismo e lido com a rotina de filho e casa também. Mas olha, em casa trabalho beeeem mais do que quando trabalhava fora! hahaha Precisamos tirar um tempo pra nós, nem que for lavar a cabeça em 20 minutos sozinha no banheiro! hahaha

    Laís Sass
    mamaeantenada.com.br

    ResponderExcluir
  11. Realmente é mto difícil e complicado fazer essa troca e ficar só em casa! Eu fiquei 10 meses e percebi que eu precisa ocupar minja cabeça com outra atividade nem que fosse apenas meio período! E isso mudou totalmente a minja forma de maternar!Parabens pelo texto!! Bjonhos

    ResponderExcluir
  12. Não é fácil, verdade temos que tirar uns minutos para gente..

    ResponderExcluir
  13. Adorei o texto. Desabafar é algo que nos faz muito bem. Não existe mistério. Somos seres humanos, sofremos. Amamos. Enfim, lindas palavras, adoro os seus textos!

    ResponderExcluir
  14. Ser mãe é maravilhoso, porém não é uma tarefa muito fácil!!!! Depois dos filhos, só temos olhos para eles e a gente sempre fica em último plano... mas ter um momento só nosso é fundamental para nos mantermos com "sanidade" para desenvolver a maternidade em sua plenitude!!!! Tamo junto Tati... Beijos

    ResponderExcluir
  15. Super normal amiga, mas toda a mãe fica sempre se cobrando. Temos q ser mães possíveis, não perfeitas. Bj

    ResponderExcluir
  16. Força amiga, no final vale muito à pena ;)

    ResponderExcluir
  17. Quem nunca se sentiu assim que atire a primeira pedra, me sinto culpada, choro, sorriu, caio, levanto e faço tudo outra vez

    ResponderExcluir

Gostou? Compartilhe, comente!