quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

A Adaptação na escola: quando a mãe também chora!

Quando uma criança inicia seu processo de adaptação na escola, automaticamente uma mãe inicia também!

Muitas vezes já não é fácil fazer a escolha de matricular o(a) filho(a) na escola, pois surgem todos aqueles fantasmas sobre o cuidado com a criança que nós mães tanto temos. Mas opção feita, surgem também os fantasmas da adaptação do(a) pequeno(a). Será que ele(a) vai chorar? Será que ficará bem? Será que sentirá minha falta? Será que vai comer direitinho? Será que vai gostar dos amigos? 
São tantos "serás" que nos perdemos em pensamentos e sofremos antecipadamente.

Sou a favor da escola. Um ambiente adequado com recursos disponíveis a cada faixa etária é muito saudável para o desenvolvimento da criança. Conviver com outras crianças é fundamental para a socialização e o aprendizado de conviver, participar, ouvir e respeitar ou outro.

Mesmo assim, o início da adaptação é como uma loteria, nunca se sabe o resultado. Jogamos para ganhar, mas nem sempre acontece. Tive duas experiências completamente distintas com a Manu e o Davi. Cada um reagiu de uma forma e eu tive que enfrentar a situação, me adaptando também. Mas como uma mãe de adapta, gente? Como uma mãe reage? O que faz uma mãe, que se espera dela mediante cada situação?

Bom, vocês já sabem que além de mãe sou pedagoga, e já trabalhei com o primeiro ano do ensino fundamental. Por isso, já presenciei várias situações como profissional, já tranquilizei e orientei mães, mas quando chega a nossa hora... gente, não tem teoria que se aplique a nossa prática. É muito mais emoção do que razão, podem ter certeza! Vou contar para vocês como foi por aqui.

A Manu entrou para a escolinha com 1 ano e 8 meses e NÃO precisou de adaptação. No primeiro dia já deu tchau e acompanhou a professora até a sala. Como assim? A pergunta que não quer calar: Ela não sentiu minha falta? Brincou e se divertiu muito e isso ocorreu nos outros dias também. Fiquei uns dois dias esperando na escola mesmo caso precisasse e nada! Como estava trabalhando pedi para minha irmã ficar lá no outro dia e ela acabou sendo dispensada. Minha pequena demonstrou estar preparada e com maturidade para enfrentar esse nova etapa. Eu me senti orgulhosa pelos novos amiguinhos que já estava fazendo e também pela atitude dela, mas confesso que com o coração apertado por dividir meu espaço com mais alguém e me sentir um tanto de ladinho...coisas de mãe né!

O Davi teve duas adaptações. Entrou na escola, na primeira vez, com 1 ano e precisou de MUITA adaptação! Chorou e chorou por incansáveis 30 dias. Oi, como? E a pergunta que não quer calar: Como eu aguentei isso? Sinceramente não sei. Saía completamente destruída da escola para trabalhar. Nos primeiros dias tive que interferir e acalmá-lo, por pedido das próprias professoras. O tempo foi passando e ele foi chorando menos, mas o meu coração continuava apertado, partido. Quantas vezes cheguei no carro e sequei as lágrimas dizendo para mim mesma que isso ia passar logo. Até o dia em que finalmente deixei-o na escola e ele me deu tchau sorrindo. Que sensação maravilhosa! Meu pequeno estava evoluindo e aceitando permanecer ali. Mas, será que eu já não era assim tão importante para ele?
Na sua segunda adaptação, ele estava com 2 anos e 8 meses (que aconteceu agora esse ano). E novamente não foi fácil. Chorou e chorou e chorou tudo de novo! Meu coração se partiu novamente e minha cabeça girava...não queria vê-lo sofrer, nem chorar. Como é difícil esse momento. Permaneci na escola nos primeiros dias, mas dessa vez não me chamaram. Pedia para a Manu ir espiá-lo escondida, sim eu fiz isso, acreditem! Não é fácil deixar o filho gritando na porta da sala, é de cortar o coração e esquentar qualquer cabeça. Claro que houve muita conversa com ele, aliás, sempre conversei antes para ir preparando ele para quando chegasse o dia. Ele ouvia e dizia que queria ir na escola, que ia desenhar, pintar, brincar com massinha e no parquinho; e ele já conhecia esse espaço da escola. Não foi de uma hora para outra, ele sempre vai junto buscar a Manu, mesmo assim a reação foi a pior possível. Outra vez me senti em pedaços. Quanta dependência tem meu pequeno, quanto receio de me ver partir...é preciso ser firme, passar tranquilidade (não sei de onde) e ser forte para encarar essa situação porque ela vai passar. A semana parecia interminável e ele sempre ficava chorando, mas quando chegava para buscá-lo estava calmo e na maioria das vezes, brincando feliz no parquinho com sua turminha. Ainda na primeira semana de aula, na sexta-feira, ele entrou direto na sala sem nem mesmo me dar um beijinho de despedida...me surpreendendo! Fiquei ali parada por alguns segundos vendo meu pequeno se ajeitar no seu lugar...lindo de ver! Orgulho do meu pitoco! O processo de adaptação que parecia ser interminável durou uma semana! Mas... como assim, já não sente minha falta? Tão rápido, gente? Percebi que ele está crescendo e amadurecendo, vendo o mundo com nova perspectiva, a perspectiva de um menino alegre, curioso e inteligente!

O que parecia que duraria uma eternidade, sim aos meus olhos seria uma eternidade, durou apenas uma semana ou cinco dias ou para ser mais exata 12 horas e 30 minutos (o horário nesses dias foi reduzido). Então eis aquele velho mantra nosso de todos os dias "vai passar, tudo passa". Acreditem, é verdade! Assim que as crianças sentem-se seguras, confortáveis, se divertem e o mais importante confiantes, porque sabem que os pais voltarão para buscá-las, a situação acalma e a adaptação acontece.

Claro que a adaptação escolar não deve ser um processo doloroso, mas nem sempre é tranquila. As crianças podem demonstrar medo, inquietação e desgosto. É natural, afinal é uma nova descoberta para elas. Nosso papel é incentivar, manter a calma, conversar e desmistificar o receio delas. Mas sempre ouvindo o que elas tem a dizer. Pode ser um processo rápido ou mais demorado, isso vai depender muito de cada criança e da mãe também. E. acreditem muitas vezes é mais difícil para nós do que para eles, a gente sofre mesmo! E a adaptação da mãe, quem faz? E o coração de mãe, como se acalma? Mãe chora se o(a) filho(a) ficou bem, tranquilo e feliz e pensa "poxa, ele(a) nem sentiu minha falta"; mãe chora se o(a) filho(a) fiou chorando e chamando por ela e pensa "poxa, assim ele(a) não vai aproveitar" ... não tem jeito. Mãe sempre ou quase sempre chora. Mãe é mãe e ponto.

Bju,


Tatiane Gallas

44 comentários:

  1. Tati, estou ansiosa pela adaptação do Caio. Ele em casa fala que quer estudar, está animado, mas não sei como será no dia D! rs

    ResponderExcluir
  2. Tati quantas palavras lindas e verdadeiras. Estou em processo de adaptação e só não chorou nos dois primeiros dias. Depois sempre chora. O coração aperta, mas acredito que é o melhor para ele e seguimos confiantes! Bjos é obrigada por contar sua experiência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tbém acredito que seja o melhor e com o tempo todos se adaptam! Mas precisamos controlar nossa ansiedade. Bjo

      Excluir
  3. Tati, amei o seu texto, a experiencia passada. tenho alguns amigos que estão passando por esta situação, cada um lidando de um jeito.. Vou encaminhar para eles este texto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah que bom, fico muito feliz em poder ajudar e quem sabe acalmar o coração de mais alguém!!

      Excluir
  4. Tati, amei o seu texto, a experiencia passada. tenho alguns amigos que estão passando por esta situação, cada um lidando de um jeito.. Vou encaminhar para eles este texto!

    ResponderExcluir
  5. Tati
    No início Eh tão difícil mesmo !!'
    Mas depois Eh tão gratificante ver que tudo o esforço foi válido!! Eles amam a escola e sentem falta dos amigos nas férias 💝

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo Fanny! É lindo ver o desenvolvimento deles.

      Excluir
  6. É amiga, acho q a adaptação é até mais da mãe que das crianças :)
    Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Ale! Pq a mãe já sofre antecipadamente, rs.

      Excluir
  7. É amiga, acho q a adaptação é até mais da mãe que das crianças :)
    Bj

    ResponderExcluir
  8. Quando decidi colocar meu pequeno no berçário, com 9 meses, eu chorei mto mais que ele... Além dele não ter adaptado, eu tb não me adaptei! Não ficava bem!!! Agora ele está em casa e só irá para escola para a alfabetização. A adaptação é bem mais dolorida para nós mães que para os pequenos... bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sim Luciana e se não der certo melhor esperar mesmo pois não deve ser um processo dolorido.

      Excluir
  9. Aqui coloquei meu filho quando ia completar 3 anos, na semana de adaptação ele entrava sem chorar, e parecia nem sentir falta, na segunda semana ele começava a chorar minutos antes de ir para escola, ai eu ficava o mais forte possível (mais por dentro estava chorando acho que mais que ele), conversava lembrava dos outros dias e prometia que seria uma das primeiras a estar na porta para buaca-lo e assim faço até hoje, e aquele choro que ele tinha durava até entrar encontrar a professora e os amigos ai a mãe kkkk nem lembrava que ela existia, mais saia de lá mais leve e aliviada

    Bjs Mi Gobbato - Espaço das Mamães

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Mi, depois eles acabam ficando bem e eu também sou uma das primeiras mães a chegar, assim passamos mais confiança a eles. Bjo

      Excluir
    2. Sim Mi, depois eles acabam ficando bem e eu também sou uma das primeiras mães a chegar, assim passamos mais confiança a eles. Bjo

      Excluir
    3. Tati assim eles ficam tranquilos ... As vezes tem aquela manhazinha mais chegando lá com os amigos nem lembram da gente né
      Bjs

      Excluir
    4. Tati assim eles ficam tranquilos ... As vezes tem aquela manhazinha mais chegando lá com os amigos nem lembram da gente né
      Bjs

      Excluir
  10. Aqui coloquei meu filho quando ia completar 3 anos, na semana de adaptação ele entrava sem chorar, e parecia nem sentir falta, na segunda semana ele começava a chorar minutos antes de ir para escola, ai eu ficava o mais forte possível (mais por dentro estava chorando acho que mais que ele), conversava lembrava dos outros dias e prometia que seria uma das primeiras a estar na porta para buaca-lo e assim faço até hoje, e aquele choro que ele tinha durava até entrar encontrar a professora e os amigos ai a mãe kkkk nem lembrava que ela existia, mais saia de lá mais leve e aliviada

    Bjs Mi Gobbato - Espaço das Mamães

    ResponderExcluir
  11. essa é uma fase bem complicada mesmo! Eu fiquei 15 dias na escola da minha filha, ate sentir que ela e eu estavamos adpatadas! eles tiram de letra, nós é que sofremos kkkk mas vai dar tudo certo.

    bjinhos

    ResponderExcluir
  12. Complicado a separação, eu chorei no primeiro dia o Pedro Augusto fez tchau e ficou super bem, esse ano foi tranquilo graças a Deus

    ResponderExcluir
  13. Complicado a separação, eu chorei no primeiro dia o Pedro Augusto fez tchau e ficou super bem, esse ano foi tranquilo graças a Deus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas quando eles vão de boa é melhor, a gente acaba costumando mais fácil. E é ótimo pra ele! Bjo

      Excluir
  14. E ponto mesmo! Realmente muito difícil! Estou nessa adoração há 2 anos! 😭😭😭

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Difícil de cortar, nem que seja um pouquinho, esse nosso cordão.

      Excluir
  15. Aqui a Mari iniciou agora dia 01/2 a escolinha, foram 3 dias de adaptação para ela que já está amando a escola, para mim acho que a adaptação ainda vai levar uns meses, rsrs como sofremos mais né

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, e como!!
      Mas a gente acostuma, o importante é ela estar gostando! Bjo

      Excluir
  16. Por aqui já passamos dessa fase, Luan agora é super de boa com escola nova, turmas e horários. Mas já passei uns maus bocados.
    Blogmaternidadesemfrescura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom Jaque!
      É o nosso mantra né "tudo vai passar" bjo

      Excluir
  17. Oi Tati

    O Gabriel ainda não foi para a escola, mas acho que eu vou sofrer bem mais que ele.


    Bjs

    Mari

    ResponderExcluir
  18. Ainda não passei por isso, mas já estou ansioso ;)

    ResponderExcluir
  19. No início eu sofri mais que ele kkkk mais já estamos adaptados ele a escola e eu a ficar sem ele nas minhas tardes durante a semana .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nó vamos nos acostumando mesmo e é bom para todos!

      Excluir
  20. No início eu sofri mais que ele kkkk mais já estamos adaptados ele a escola e eu a ficar sem ele nas minhas tardes durante a semana .

    ResponderExcluir
  21. Eu sofri mais que Heitor, com certeza! Mas agora, na volta das férias, ele chorou no primeiro dia. Eu fiquei escondida (e morrendo de chorar), até ele se acalmar e ir brincar com os amigos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai Marcelle faz parte! Normal depois das férias eles ficarem inseguros...e nos também! Kkk bjo

      Excluir
  22. Hoje foi o primeiro dia do Pedrinho.. e adivinha quem chorou? EU!!! hahaha Realmente, não sei como uma mae se acostuma. Vou trabalhar, ele estará super bem aprendendo, fazendo novas amizades, mass somos maes, né?! rs Amei seu post e me identifiquei! :) Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh pior é que a gente se adapta Mamãe Antenada! Que bom que gostou!! Vai dar td certo! Bjo

      Excluir
  23. Eu não cherrie. ..estava numa fase meio exausta e sentia q ela tb tava precisando dar esse oasso então foi muito bom pra ela e pra mim!!!

    ResponderExcluir

Gostou? Compartilhe, comente!