sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Cuidado: Crise de birra identificada! Como lidar com a birra infantil.

Como lidar com a birra infantil


 Seu filho sempre foi um bebê bonzinho, calmo, com horários regrados, ia no colo de todos, agora está crescendo, aprendendo coisas novas, já sabe andar, falar, já tem suas preferencias e BUUUM!!! De uma hora para outra: se joga no chão quando contrariado, atira os brinquedos longes na hora de guardar, grita e esperneia se não for do jeito que ele quer? CUIDADO: CRISE DE BIRRA IDENTIFICADA! Bem-vinda a esta nova fase do desenvolvimento, sim, nós dissemos fase, respira fundo e vem conversar com a gente sobre como lidar nesses momentos e entender porque ele está fazendo isso.

Mais ou menos por volta dos 2 até aproximadamente os 4 anos, a crianças começará a tentar impor suas preferencias e vontades, porém ainda não terão maturidade suficiente para lidar com a frustração de ser contrariado. É nessa faixa de idade que as crianças irão testar os limites dos pais e aprender que nem sempre as coisas são como desejamos. Como ainda não sabem lidar com o “NÃO” e a sensação de estar se sentindo frustrados elas vão sim, chorar, gritar, espernear, se jogar no chão e tudo mais, pois a sua maneira de lidar com a situação será explodir e tentar reverter a decisão dos pais!

Então está lançado o desafio, respirar fundo, não se deixar levar pelo grande espetáculo, ainda mais quando este acontece no meio do shopping, supermercado ou naquela festa da empresa, onde a sua única certeza é querer que ele pare imediatamente com aquilo. Sim, sabemos que vocês gostariam que pudéssemos dar aqui uma solução simples e rápida para isso, mas infelizmente, não existe uma fórmula mágica!  Mas algumas dicas podem sim ajudar (e MUITO!) nesse desafio.  Primeiramente, cuidado para não cair na tentação de travar ali mesmo um cabo de guerra de quem grita mais alto! Ficar repetindo que NÃO vai, que NÃO pode, que NÃO quer, adivinhem? NÃO vai adiantar de nada! Nessas horas o “não” é simplesmente ignorado.

Quer experienciar isso? NÃO pense em um urso! Opa, você pensou né? Viu? Você está desobedecendo!

Nessas horas, opte pelo PARE e em seguida oferte outras opções, desviar o foco do pequeno será muito melhor do que longos discursos e explicações. Deixe a conversa, olho a olho (sim, lembra que já falamos sobre se abaixar na altura da criança?), para depois quando a criança estiver mais calma, assim você poderá explicar e lhe dar um abraço, mostrando que entende o que ela sentiu e que está ali.

É bastante importante, aos poucos, começar a ensinar a criança a saber identificar aquilo que está sentindo, nomear as emoções e saber valida-las. Frases como “Eu entendo que você está muito bravo porque não ganhou o brinquedo” e “ Percebo que você ficou triste porque não comeu sorvete” são belos exemplos. Assim a crianças se sentirá de certa forma compreendida, que você sabe como ela  está se sentindo, mas que naquele momento não era possível ter o que ela desejava por tal razão.

Lembre-se de ser firme e manter aquilo que foi dito, por vezes no anseio de interromper a crise de birra, os pais acabam cedendo ao desejo da criança, e é exatamente aí que mora o perigo. Pois assim, a criança aprenderá que com as crises de birra acaba conseguindo o que querer e assim elas tendem a ser mais frequentes. Por outro lado, se perceber que vocês deram um passeio ao shopping ou foram ao supermercado e a crianças conseguiu desfrutar deste momento e não fazer birra, ELOGIE! Mostre como foi positivo e como você ficou feliz com o comportamento dela, assim já estará prevenindo possíveis novos episódios.

Assim como tantas outras que virão, a fase das birras, é apenas uma fase, ela virá e passará. Lembre-se disso! 


Paola Ritcher, Psicóloga e Psicoterapeuta de crianças e adolescentes; 
Natana Consoli, Psicóloga e Psicoterapeuta de adultos, casais e famílias. 

Ambas fazem avaliação psicológica e prestam assessoria psicológica em instituições de educação infantil.
Saiba mais: 
Facebook: E aí Psi?

6 comentários:

  1. Verdade! A Birra vem e quando vc menos espera ela vai embora Temos que ter paciência e sabedoria para passar por essa fase! beijos

    ResponderExcluir
  2. Haja paciência não é, mas acho super importante prestarmos atenção nas causas e não nos deixarmos levar pelo impulso da raiva...

    Clau
    @AsPasseadeiras

    ResponderExcluir
  3. Joao entrou numa fase cruel de birras e estamos tentando nos reprogramar para falar com ele... é tao instintivo falar o Nao faça, não pegue, não mexa...
    Deia
    @lancheiradojoao

    ResponderExcluir
  4. Quem sou eu pra falar do assunto, já que ainda não sou mãe... Mas, confesso, fico horrizada com certas cenas de birra!!! Tem criança que manda no pai e na mãe, misericórdia!!! Controlam os pais na base da birra e do grito!!!

    ResponderExcluir
  5. Disse tudo! Do nada vem e quando estamos quase desistindo, some! É respirar fundo e lidar de frente com as situações!

    ResponderExcluir
  6. Adorei a matéria, estamos saindo dos terríveis dois anos e não foi fácil identificar!

    ResponderExcluir

Gostou? Compartilhe, comente!