sábado, 27 de maio de 2017

Festa do Davi Tema Dinossauros

Vocês sabem o quanto eu gosto de uma festinha caprichada, caseira e rica em detalhes. E a comemoração do aniversário do Davi foi novamente assim esse ano.

O tema Dinossauros já foi escolhido por ele desde o ano passado e é um dos temas queridinhos dos guris. Confesso que chegamos a pensar na possibilidade de fazer o tema Patrulha Canina porque é o desenho preferido dele, mas após algumas conversas ele acabou optando pelos dinos e eu sinceramente amei! Particularmente prefiro os temas sem os personagens do momento, quanto mais diferente acho melhor, hehe.

Toda a festa foi feita por mim e pensada como muito amor para que o guri pudesse aproveitar muito a companhia dos seus amiguinhos. Chamamos só a família e alguns coleguinhas da escola, pessoas que fazem parte da rotina do meu pequeno.

Para a decoração usei materiais que já tinha em casa ou emprestados. Tocos de árvores serviram como bandejas (eu adorei!), plantas, coloquei dinossauros de brinquedos do Davi e primos na mesa, recortei silhuetas de papel e pegadas grandes de dinos e coloquei em alguns pontos da festa. Mas o que chamou a atenção dos convidados foi o material diversificado da papelaria personalizada Zumbalum. Sem eles a festa não teria ficado tão bonita e tão decorada! As caixinhas milk, as caixinhas de trufas, pipocas e batatinhas, os cones, os tubetes e latinhas, as tags (eu amo as tags, gente!) e as forminhas de cupcakes e docinhos foram o diferencial da festa!

Para as comidinhas, encomendei o básico e o que as crianças gostam. Salgados e docinhos típicos de festa como risoles, bolinhas de queijo, folheados, coxinha de frango, batatinha-frita, pipoca, brigadeiro, beijinho, cajuzinho, trufa de nozes e claro, cachorro-quente! Uma gostosura que teve e que encantou a todos, foram os biscoitinhos amanteigados de baunilha da Pipa Criações. Sabe aqueles doces que a gente percebe que foram feitos com muito amor, são eles. Além de lindos e deliciosos, eles são decorativos! E a Dani fez, além dos biscoitinhos em forma de dinossauros, biscoitos com as letras de Davi e o número 4! Eu me apaixonei! Ficaram perfeitos!

O bolo foi simples, mas delicioso! E para não destoar da decoração da festa que era mais rústica, fiz mini-bandeirolas de tecido e coloquei mini-dinossauros. Eu achei um mimo e o Davi adorou!

E para garantir a diversão da gurizada teve cama elástica e um escorregador com touro inflável! Fiz também uma cauda, pés e braceletes de dinossauros para eles brincarem na festa, foi um pega-pega dino muito divertido!

As crianças levaram de lembrancinha massinha de modelar e brinquedinho de dinossauro que coloquei na caixinha milk personalizada e pés de dino feito por mim. 

Produzir uma festa, nem que seja pequena, dá trabalho sim. Mas é compensador ver a carinha de satisfação e alegria do filhote e ouvir ao final da festa "Mãe, quando será meu próximo aniversário?". É acho que ele realmente curtir e gostou muito! 

Preciso agradecer a esses dois fornecedores que me ajudaram a tornar a festinha do meu guri ainda mais linda, obrigada Roberta e Dani, vocês foram incríveis!

Papelaria: Zumbalum

Biscoitos: Pipa Criações 


Agora, eis o Mundo dos Dinossauros do Davi!






 

Tags Zumbalum

Papelaria Zumbalum

Pipa Criações

Biscoitos Pipa Criações

Cuidado: Ovos de dinosauro!


Detalhe do bolo


Família 
Diversão nos brinquedos
             
Meu pequeno Dino
Uma das lembrancinhas: pé de dinossauro
 

Todas as fotos são de arquivo pessoal.



segunda-feira, 15 de maio de 2017

Agressividade infantil

Pode parecer estranho, mas é comum que as crianças, principalmente, as menores expressem sua raiva batendo, seja nos brinquedos, nos amigos e sim, até mesmo nos pais. Nessas horas o que ou quem estiver ao alcance vira alvo. Mas calma! Isso não quer dizer que ele/ela seja ruim, malvado ou cruel, só não está sabendo como expressar suas emoções de uma maneira mais assertiva.




O primeiro passo para lidar com essa situação é entender que a raiva é uma emoção e que todos nós iremos experienciar momentos que nos despertem raiva, e ISSO É TOTALMENTE NORMAL! O que temos que atentar aqui é entender o que a criança está querendo nos dizer com esse comportamento e quando ele aparece. A maioria das crianças apresenta um comportamento agressivo quando contrariada, ou seja, eles estão aprendendo ainda a lidar com a frustração e a entender que na vida nem sempre podemos fazer tudo que desejamos.  E este é o ensinamento que devemos passar justamente nessa fase.

 Outra situação onde os comportamentos agressivos podem aparecer, ocorre quando eles não sabem nos expressar o que realmente estão sentindo, e que pode muitas vezes não ser raiva, e sim outro sentimento como  insegurança, tristeza, saudade, etc. Existem diversas situações e mudanças com as quais uma família pode estar tendo de lidar e não se dar conta de que a criança está sim percebendo que algo não vai bem ou que algo mudou e nada foi explicado a ela. E aqui estamos falando desde coisas mais simples como a chegada de um irmãozinho, mudança de casa ou escola, até situações mais complexas como a separação dos pais ou luto na família.

A agressividade não deixa de ser uma forma de linguagem, precisamos ensina-los então outros meios de comunicação das emoções. Por se tratar de algo que precisa ser aprendido o primeiro passo é pensar como você comunica suas emoções para criança? Será que você também por vezes não utiliza da agressividade para lhe dizer como está sentindo? Não estamos falando apenas em agressões físicas, mas também no modo de falar. Como já mencionamos antes, seja no engarrafamento, na derrota do seu time ou quando ele/ela quebra algo seu por engano...estamos o tempo todo expressando reações e eles a maioria das vezes estão por perto, e SIM! Eles prestam atenção mesmo que não digam nada.

Tendo isso em vista, precisamos lembrar de algumas coisas, então pega o bloco de notas que lá vem as dicas:

- Já que não queremos que eles tenham este tipo de comportamento, suas vontades expressadas por meio da agressividade NÃO DEVEM ser atendidas. 

- Persistência, nada de dar o brinquedo que ele quer só porque começou a se atirar no chão da loja de brinquedos. Nada de correr atrás da criança para dar almoço porque ele começou a jogar os brinquedos longe porque não queria parar de brincar. A criança precisa entender que NÃO TERÁ o que quer apenas porque está fazendo um “show”.

- Auxiliar a criança a nomear e entender o que ela está sentindo é essencial.  Frases como “Entendo que você esteja bravo, mas não pode quebrar seus brinquedos pois não terá com o que brincar depois”, “Acho que você está triste porque queria continuar brincando mas agora você precisa almoçar e depois pode brincar”.

- E quando ele resolve partir para cima, o que fazer? Segure o braço, pé, brinquedo ou o que ele estiver usando para lhe atingir e diga: NÃO! Você não pode fazer isso só porque está _____( ajude-o a nomear o que está sentindo). E interrompa o comportamento imediatamente. Lembrem: crianças aprendem por causa e efeito.

- Deixe a conversa sobre comportamento adequado para quando o “pico da emoção” já estiver passado. Ou seja, espere a criança se acalmar para então iniciar uma conversa, demonstrando que não é o que ele está sentindo que você desaprova e sim a maneira como ele está comunicando.

- E como fazer ele se acalmar? O uso do “tempo chato” pode ser uma boa estratégia nesses casos. Um tempo sem tv, sem brinquedos, sem distração, apenas para acalmar. Vale um lugar no sofá, uma almofada no chão, a cama, etc. Um lugar onde a criança relaxe e volte ao equilíbrio.

- Tome cuidado com frases como “Que feio ficar bravo”, “Chorar é coisa de bebê”, porque dessa maneira estamos dizendo que ele não pode se sentir assim, ou não pode chorar. Todo mundo sente raiva, tristeza, saudade, amor, alegria, de vez em quando, e seu filho não é exceção.

- Quando o comportamento agressivo aparecer entre as crianças, procure imediatamente separa-los, primeiro ouvir aquele que “sofreu” a agressão, e depois  quem agrediu, entender o que aconteceu e explicar que mesmo que esteja bravo (por exemplo) não pode bater no amigo pois o machucou. E agora o que ele precisa fazer? Pedir desculpas! Sim! Muitas vezes procuramos afastar as crianças e dizer: “fique longe do fulano porque ele te machuca” e ao invés de ensinarmos o perdão estamos ensinando que devemos excluir aqueles que fazem algo que nos desagrada.

         Finalizando, entramos no velho dilema sobre a famosa “palmadinha” como forma de correção, pois pensa com a gente: O que estamos ensinando quando batemos na criança quando ela faz algo que nos desagrada? Sim! Que quando não gostamos de algo podemos bater! E agora? Se damos este exemplo, como faremos o discurso de que bater não é a maneira correta de lidar com a frustração?
       Nesse caso nem a melhor das explicações na hora que a criança for agressiva irá mudar seu comportamento. Afinal, O exemplo é sempre a melhor escolha!






Paola Ritcher, Psicóloga e Psicoterapeua de crianças e adolescentes; e Natana Consoli, Psicóloga e Psicoterapeuta de adultos, casais e famílias.
Facebook: E aí Psi?




quinta-feira, 4 de maio de 2017

Festa tema Monstrinhos

Adoro temas de festinhas infantis que fogem um pouco do comum. E tem tanto tema divertido e lindo como esse dos "monstrinhos" que deixam qualquer festa simples ainda mais encantadora e colorida.

Eu adoro esse tema! A festa fica cheia de cor e alegre! Como são as crianças!

Inspire-se no tema e veja como uma festa simples, feita em casa (daquele jeitinho que vocês sabem que eu adoro) pode ficar incrível! 

Essa foi a festinha do meu sobrinho João Gabriel, toda pensada e elaborada com muito amor pela mamãe Dani. 

Confiram! 


Amei essa cortina de bolas coloridas, uma ideia simples e linda!


Detalhes da mesa: monstrinhos feitos de feltro pela mamãe, um charme!



Delicias decoradas no tema da festa, tem que ter! Aqui pirulitos de chocolate decorados com monstrinhos coloridos.


Bolo temático lindo! E ainda da para aproveitar os brinquedinhos das crianças para decorar.


 As bandeirinhas deram um charme para a mesa!


Caixas coloridas serviram para colocar algumas lembrancinhas.


Monstrinhos sorridentes e do bem!


 Lembrancinhas: biscoitos produzidos pela vovó e pela mamãe e embalados no tema da festa. Geleca para as crianças se divertirem e personalizados! Tudo lindo!

Criatividade: acho o máximo propor coisas diferentes nas festinhas. Além dos brinquedos que geralmente colocamos para as cria, que tal incluir alguns itens para os pequenos se divertirem? Um painel porta-retrato e boquinhas divertidas para uma selfie criativa!



 O aniversariante lindo da tia, João Gabriel, e a mamãe Dani! <3

    


Fotos Arquivo Pessoal by @maedegurieguria




Inspire-se e faça sua festa também! As crianças amam ver os preparativos!

Se tu fez alguma festinha assim, caseira e linda, e quiser compartilhar dicas com outras mães festeiras, me manda as fotos por e-mail. Ela pode aparecer aqui no blog! Vou adorar ver e compartilhar!

Beijos e até a próxima festa!


Tati


Postagem em destaque

O segundo filho, tudo tão igual e tão diferente!

Algumas pessoas dizem que ter o segundo filho é mais fácil. Você já sabe como é, do que eles precisam e como fazer. Nem sempre. Foto A...